Sr. Quintana me fez feliz

Depois de uma longa e perturbadora viagem de ônibus, me deparei com o seguinte poema de Mario Quintana em um papel colado num poste:

“Se te contradisseste e acusam-te, sorri,
Pois nada houve, em realidade.
Teu pensamento é que chegou, por si,
Ao outro pólo da Verdade…

Foi quando surpreendentemente um sorriso se fez em meu rosto e mais da metade das angustias foram embora. E ali notei que não me lembrava da última vez em que estive feliz! Não porque não sou, e sim porque os momentos que fazemos questões de guardar são os tristes, perturbadores e irritantes. Talvez esse poema não devesse me fazer pensar nessas coisas, mas fez, talvez ali eu tenha chego a outro pólo de uma verdade, talvez tenha chego no pólo que me faz olhar , entre tantas coisas horríveis, para tudo aquilo que me faz bem.

Decidi então compartilhar com vocês! Se é que existe alguém aqui.  A partir de agora todos os dias (ou quase todos) vou postar algo que me faz muito bem, espero que esse seja um tempo em meu dia de felicidade garantida, onde vou poder abandonar todas as pressões que vivo para respirar um pouco aliviado e ver que ainda vale a pena. 

A primeira coisa que vou compartilhar está ali em cima, um pouco da genialidade de senhor Mario, espero que assim como fez comigo, esse poema faça com que vocês reflitam e vejam o que quiserem ver… Pois poesia é assim mesmo.

maxresdefault

OLHA SÓ QUE SENHOR FOFINHO! SHUAHSUHUSAH

Não sei como terminar um post, então por hora: um afetuoso abraço!